segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Um herói no trem de prata

Um  guerrilheiro brasileiro liderou um grupo da resistência francesa para resgatar companheiros presos  num hospital-prisão nazi, em Paris, durante a segunda guerra mundial. Assim o jovem resgata, sem tiros, dentre outros, a companheira da resistência francesa que viria a ser  sua amada para o resto de sua vida. Esta era uma das inúmeras histórias de sua vida, que  Apolônio de Carvalho contava-me no carro-bar do "trem prata" e no carro restaurante, que ligava a Estação Leopoldina do Rio à Estação da Luz de Sampa. Ouvia-as nas inúmeras viagens que fizemos, saindo às 23h e chegando às 8h, numa ou noutra estação. Iamos juntos, os dois, representantes do Rio de Janeiro na primeira coordenação executiva nacional do PT, entre 1979 e 1981. Foi, creio, um dos grandes conselheiros de minha vida. Duro por vezes, poeta na maioria delas. Sim, Apolônio vem de apolíneo

Assista  VALE A PENA SONHAR ! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário