terça-feira, 3 de novembro de 2015

Conversa ondulada?

Agora escrevo para tentar me distrair e me divertir...mas nem sempre foi assim...
Entre 1990 e 2002 foi  o auge de minha grande luta pela minha  sobrevivência, quando entrei no desespero e cheguei ao mundo dos zumbis. Depressão profunda, transtornos emocionais - alternando a melancolia profunda com  manifestações de pânico e terror. Usei da escrita, da psiquiatria, do tai-chi-chuam, do yoga, de caminhadas, de antidepressivos, ansiolíticos, de muito cigarro e de muuuuito  alcool.  Pra tentar segurar a barra. Não segurei. Em 2002 uma voz do  Além Tudo  disse-me em alto e bom som: PERDEU PLAYBOY. Baixei as armas e comecei o desmonte dos personagens que encarnei para tentar buscar uma nova essência de consciência, e de maneira careta.
Em 2000 eu achei legal publicar o que escrevi na primeira metade da década de 90, como meio de sobreviver, que eu denominei por  ONDULAÇÕES. Na época me definia  como sendo:   "Sidney Lianza, nasceu em São Paulo no dia 3 de setembro de 1050. filho de Dona Mila, já falecida, nascida na Moldávia (ex - Romênia).e de Dodô, muito vivo, também nascido em São Paulo, filho de siciliano. Nesta mistura peculiar deu  no que deu. Reside no Rio de Janeiro desde 1976, onde nasceu sua única filha" etcoetera e tal. Acrescentei que "sempre utilizou-se da escrita como uma forma de sistematizar a vida e a dialogar consigo próprio. Ondulações consiste numa compilação de parte de seus textos etcoetera e tal e finalizava"agora, tomou coragem e resolveu abrir os porões de sua alma à visitação pública"
Se quizer folhear o livro clique em: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário